A farsa da reencarnação


A reencarnação é uma mentira, não existem espíritos vivos após a morte. A morte é o fim da vida!

A proposição da reencarnação é um ensinamento que trava a mente e cria questões sem resposta, além de colocar o Criador em xeque-mate só por se admitir que existem espíritos que saíram dos corpos e continuaram vivos e conscientes em outra dimensão esperando para entrar num novo corpo para “pagar pecados passados” e aprender a ser gente.

A primeira questão de milhares que fazem a reencarnação ser vista como um grave erro assim como a consciência de espíritos que estão esperando um novo corpo para nascer, pagar pecados e evoluir é a seguinte:

Se Deus criou seres que precisam evoluir então o trabalho dele é imperfeito, logo, até os humanos trabalham melhor do que Deus porque existem trabalhos humanos que depois de concluídos não precisam evoluir, são perfeitos, completos...


Isso significa que os humanos são melhores do que Deus porque o trabalho dele é imperfeito e precisa de evolução através de vários nascimentos e reencarnações.

Logo, se o trabalho de Deus é imperfeito de tal forma que precisa “evoluir” então ele não merece adoração, mas sim repugnância e desprezo, porque, que espécie de Deus é esse que cria seres imperfeitos que precisam de evolução?

Não faz sentido adorar um Deus incompetente desse, ele deve é ser desprezado. Quem é ele pra falar de atingir a perfeição se ele cria seres imperfeitos para espalhar o mal e o caos uns com os outros e depois morrer e entrar na fila pra nascer de novo e pagar seus pecados “ad infinitum”?


Diametralmente oposto a isso temos o ensinamento judaico que é bem claro em dizer que não existe esse negócio de espírito sair do corpo e ficar vagando por aí de forma consciente. Ensinamento este que deixa bem claro que na morte a pessoa inteira deixa de existir e sua única esperança é ser reconstruída e chamada por Deus de volta à vida, exatamente como morreu, ou seja, a ressurreição. Ensinamento este que deixa bem claro que Adão e Eva foram criados perfeitos, absolutos, sagrados, glorificados, completos e eternos.


Esse Deus judaico Yahwah sim merece ser adorado, reverenciado e respeitado, porque ele criou tudo perfeito, foram os humanos que deturparam a pureza, a santidade e a perfeição dele...

É isso: o deus hindu, babilônico e sumério que inventou essa tal de alma imortal, espíritos conscientes, inferno de fogo, céu, reencarnação, purgatório, essas coisas, é um deus que merece desprezo porque ele é tal qual suas criaturas, um ser imperfeito ruim de serviço, que só espalha o mal pelo mundo e não tem a capacidade de gerenciar nada, só punir, causar reencarnações para punir quem pecou, onde essas pessoas só pecaram porque esse deus criou essas pessoas já imperfeitas e incompletas, passíveis de cometer erros e pecados, já com o objetivo de evoluir...


Enquanto que o Deus judeu, Yahwah, é perfeito, sublime, magnífico, criou tudo perfeito, criou Adão e Eva perfeitos, sem necessidade nenhuma de evoluir em nada e ele queria que toda a humanidade também fosse composta por descendentes de Adão e Eva também perfeitos e eternos sem necessidade nenhuma de evolução... Esse Deus sim merece ser venerado porque ele é bom de serviço, as obras dele são perfeitas tal qual a imagem de santidade e perfeição dele.


Bom, mas só de saber que o deus que fala sobre a reencarnação é um deus que cria pessoas imperfeitas para pecarem, fazerem o mal durante a vida e evoluírem, daí morrerem, ficarem de molho em algum lugar astral e voltarem reencarnados em novos corpos pra continuar esse ciclo eterno de fazer o mal e evoluir e ainda ser um deus que só faz o mal porque punir, punir, punir, fazer nascer de novo para punir mais, o universo desse deus que criou esse ensinamento da reencarnação é um universo de densas trevas malignas que ele criou, então, pela lógica, pela simples lógica...


...esse deus da reencarnação, da alma imortal, é um deus absurdamente maligno, absolutamente das trevas, no universo dele só existe punições, mal, crueldade, caos, tristeza e maldade tudo em nome de uma suposta evolução que vai demorar dezenas ou centenas de reencarnações...


...esse deus da reencarnação é um deus muito ruim de serviço. Pela simples lógica, se a reencarnação for real então esse deus que criou isso é um ser desprezível, repugnante, ele não tem a mínima moral de falar em amor, perfeição, essas coisas superiores porque o próprio universo que ele criou já demonstra quem ele realmente é e quão ruim de serviço ele é ao criar um universo assim cheio de dor, sofrimento, inferno, tortura, punições...


...pela simples lógica esse deus sumério / babilônico / indiano / espírita / criador da reencarnação é abominável...


É preciso deixar bem clara aqui a diferença entre os dois ensinamentos que governam a humanidade há cerca de 5 mil anos, que são os ensinamentos judaico e sumério. No ensinamento judaico é bem explícito que a alma morre. No ensinamento sumério a alma é imortal. No ensinamento judaico as almas vão para o “Sheol”, que é um termo que quando traduzido significa local de destruição. No ensinamento sumério, já que, na visão deles a alma é imortal, foi necessário criar o céu e o inferno para acomodar as almas imortais que deixam seus corpos humanos por ocasião de suas mortes.


Outro detalhe precisa ser esclarecido nessa questão, que é a parte científica desse assunto.

Sabemos perfeitamente, já com cálculos matemáticos absolutamente precisos que todas as partículas de condensação energética que chamamos de matéria, sim, todas as partículas energéticas possuem massa, ou seja, sofrem os efeitos da força da gravidade, o que é mais popularmente conhecido como peso. Quer dizer que qualquer expressão materializada da energia pode ser pesada em uma balança, e isto inclui qualquer emanação energética na dimensão de frequência de onda eletromagnética no universo em que vivemos. Resumindo em poucas palavras, qualquer reorganização energética existente nesta dimensão tem peso e pode ser detectada matematicamente e por instrumentos, mesmo que seja invisível aos olhos humanos. É o que o CERN vem fazendo com as colisões de partículas subatômicas: descobrindo os novos limites das forças energéticas na condensação energética que chamamos de matéria.


O que realmente isto implica? É mais do que óbvio que qualquer tipo de organização energética visível ou invisível aos olhos humanos já é detectado por instrumentos e já pode ser calculada com absoluta precisão matemática. Seguindo essa premissa científica, podemos afirmar com absoluta precisão matemática que nenhuma energia sai do corpo de uma pessoa morta, afinal a quantidade de átomos do corpo de um defunto é absolutamente igual à quantidade de átomos que ele tinha quando estava vivo (caso tenha morrido de morte natural), além do que uma pessoa morta não perde massa, ou seja, energeticamente falando, um cadáver não perde peso em comparação com o peso que tinha quando estava vivo. Quem tinha 70 kg antes de morrer continuará tendo 70 kg dentro do caixão, logo, nenhuma massa energética foi perdida neste processo da morte, consequentemente, nenhum tipo de entidade energética saiu do corpo do morto, já que o morto continua tendo especificamente o mesmo peso que tinha antes de morrer. Se alguma entidade energética tivesse saído do corpo do morto ele teria perdido massa energética e consequentemente perderia peso ao morrer, mas já que isso não acontece então nenhum espírito saiu do corpo do morto na sua morte e sua massa e consequentemente seu peso continuam os mesmos, pois nada saiu do corpo dele!


Dessa forma fica evidente e cientificamente comprovado que nenhuma energia abandonou o corpo do defunto por ocasião de sua morte. Cientificamente falando, nenhum espírito saiu do corpo do morto!


Os seres espirituais já foram criados espiritualmente nas outras dimensões, eles não eram humanos que foram para outras dimensões, eles já foram criados lá nas outras dimensões, eles nada mais são do que metabolismo energético acontecendo em escalas da frequência eletromagnética que estão fora do alcance de percepção dos seres humanos e alguns deles que são malignos ficam aparecendo nesta dimensão e se comunicando com os humanos fingindo ser “espíritos de humanos mortos”. A reencarnação é uma farsa, uma mentira criada por esses espíritos malignos que aparecem para os humanos mentindo que eles são “espíritos de familiares mortos”.


João 11:25 diz: “Jesus lhe disse: ‘Eu sou a ressurreição e a vida. Quem exercer fé em mim, ainda que morra, voltará a viver outra vez’”, isso não é reencarnar em outros corpos várias vezes, é sair da sepultura e voltar a viver exatamente como era antes de morrer e o nome disso não é reencarnação, é ressurreição!



Por | André Luís, pseudônimo: Tiranossaurus Rex – Embaixador Mundial da Paz, membro da organização imperial mundial: Royal Society Group / publicitário / inventor / filósofo / músico / integrante da Royal Academy International / integrante do parlamento virtual da ONU, registrado na sucursal da ONU em Bonn, na Alemanha, sob o número de registro 849.381 / membro da Royal Society of Science, Art and Design / membro honorário das seguintes ordens cavaleirescas mundiais: Ordem dos Cavaleiros Templários; Cavaleiros Sarmathianos da Ásia Central; Cavaleiros de Malta; Cavaleiros Teutônicos da Alemanha; Cavaleiros Hospitalários de Jerusalém / também membro e integrante de diversas outras ordens imperiais, cavaleirescas e diplomáticas mundiais / membro da Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes, e colunista dos jornais Diário da Manhã e The New York Times: advertisingpropaganda@gmail.com

Tiranossaurus Rex

BLOG DE ATUALIDADES

Social media influencer

  • AppIcons-01
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • Twitter ícone social
  • Google+ ícone social

© 2018 | todos os direitos reservados